As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonaro ou Mandetta, quem frita quem?

No sábado, presidente ameaçou demitir quem criticasse sua oposição ao isolamento, ministro o enfrentou, e, no domingo, chefe provocou subordinado desafiando quarentena nas ruas de Brasília

José Nêumanne

30 de março de 2020 | 23h15

Depois de reunião tensa com Mandetta no sábado no Planalto, Bolsonaro resolveu provocá-lo indo às ruas para “ouvir o povo”, mantendo contatos físicos proibidos pelo isolamento. Foto: Marcos Correa/Estadão

No sábado, em reunião tensa no Palácio do Planalto, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, perguntou aos presentes, entre os quais seu chefe, Jair Bolsonaro, se estavam preparados para enfrentar transmissões ao vivo nas redes sociais de caminhões do Exército transportando corpos fatais insepultos das vítimas da covid-19. O presidente disse que demitiria quem criticasse sua postura contra o isolamento compulsório. E o ministro respondeu que, vencido o terrível inimigo, ele e sua equipe estariam dispostas a sair do governo e que ele não tiraria proveito político do seu desempenho na guerra. Um dia depois, o chefão saiu às ruas de Brasília para “ouvir o povo” e cumprimentou quem encontrou num desafio evidente ao subordinado que não consegue demitir. Lamentável é pouco!

Assuntos para comentário da segunda-feira 30 de março de 2020

1 – Haisem – Qual é, a seu ver, a importância da informação exclusiva dada por Eliane Cantanhêde no Estadão de ontem sobre a tensão reinante na reunião de alguns ministros no sábado à tarde no Palácio do Planalto

2 – Carolina – Em desafio a Mandetta, Bolsonaro vai às ruas em Brasília – diz título de chamada em primeira página com foto mostrando o fato. Você vê alguma lógica nessa louca teimosia do presidente e teme por algo de mais grave que possa acontecer

BOLSONARO 3003 A

3 – Haisem – De que serve a divulgação do estudo de instituições científicas sérias de que, como estão fazendo todos os outros países do mundo, mas Bolsonaro insiste em contrariar, o isolamento social reduz o impacto dos casos graves de coronavírus nos sistemas de saúde

4 – Carolina – Que motivos pode ter tido, em sua opinião, o prefeito de Recife, Geraldo Júlio, para conseguir da Câmara Municipal a antecipação do IPTU de 2001, ano, aliás, em que ele não estará mais na prefeitura

5 – Haisem – Guedes diz que, como cidadão, quer ficar em casa – O que essa afirmação do ministro da economia, publicada no Estadão, pode alterar positivamente a realidade do combate à covid-19 no Brasil

6 – Carolina – Trump muda e amplia prazo de isolamento – diz outro título de primeira página no Estadão hoje. Em que o recuo do presidente dos Estados Unidos pode flexibilizar a nociva insistência de Bolsonaro contra a quarentena, apesar de ser um erro para lá de evidente

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.