Bolsonaro nem aí com os brasileiros

Ao dizer que não tomará vacina de jeito nenhum, o presidente da República mostrou-se indiferente à saúde de milhões de brasileiros que ainda não tomaram as suas milhões de doses

José Nêumanne

14 de outubro de 2021 | 18h22

Cem milhões de brasileiros foram vacinados, marca que supera a dos EUA, com população maior, mas Bolsonaro insiste em dizer que não se imunizará, mostrando-se indiferente à saúde do povo. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

O Brasil alcançou a marca de 100 milhões de totalmente vacinados contra a covid-19 nesta semana. Na 2ª feira (11.out.2021), o país chegou a 100.037.707 de vacinados com duas doses ou com a dose única. Na terça 12  (12.out), o número aumentou para 100.322.894, o equivalente a 47% da população do Brasil. Mais de 70% está vacinada com ao menos uma dose de imunizantes. São 154.692.854 pessoas, uma parcela de 72,5%. Mais de 70% estão vacinados com ao menos uma dose de imunizantes. São 154.692.854 pessoas, uma parcela de 72,5%. Ou seja, com população menor do que a dos Estados Unidos, o Brasil superou a maior potência militar do mundo em imunização. O presidente Jair Bolsonaro fez questão de informar aos brasileiros que ele não se vacinará, ou seja, que não está nem aí com a vida de ninguém, a não ser a sua.

Assuntos para comentário na quinta-feira 14 de outubro de 2021

1 – Haisem – Com 100 milhões totalmente vacinados, Brasil supera Estados Unidos – Esta é a manchete de primeira página da edição do Estadão de 14 de outubro de 2021. Nesta ocasião, o presidente Jair Bolsonaro diz que jamais se vacinará. O que significa isso, na sua opinião

2 – Carolina – O presidente Jair Bolsonaro cita o Evangelho de São Lucas ao contestar a homilia do arcebispo de Aparecida, dom Orlando Brandes, contra armas, ódio e mentira e a favor da vacina. Qual o sentido dessa resposta e o que ele pretende com ela, a seu ver

3 – Haisem – Economistas opinam o que fazer contra a inflação – Este é o título de uma chamada no alto da primeira página do jornal desta quinta-feira. Será realmente possível controlar a alta do custo de vida em completo desacordo com uma autoridade econômica que nada faz de efetivo contra essa situação esdrúxula

4 – Carolina – Auxílio Brasil não sai e cresce a pressão por auxílio emergencial – Este é o título de uma chamada na primeira página do Estadão de hoje. Qual é a explicação para essa reviravolta na solução populista que o governo vêm tentando para salvar de qualquer maneira a possibilidade de reeleição do presidente da República daqui a um ano

5 – Haisem – Em que a notícia de que um juiz de Nova York condenou o ex-presidente da Braskem, empresa da sociedade da Petrobrás com a Odebrecht, por cobrança de propina, desmascara os avanços de Centrão, Bolsonaro e Lula contra os procuradores da Lava Jato e uma eventual candidatura à Presidência da República do ex-juiz Sérgio Moro

6 – Carolina – Que observações você tem a fazer na visita que fez à trigésima quarta Bienal de São Paulo, aberta até dezembro no pavilhão tradicional do Parque do Ibirapuera

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.