Bolsonaro negocia com condenados

Para ter dois quintos dos votos na Câmara para evitar abertura do processo de impeachment, Bolsonaro imita Temer e dá cargos federais a chefões partidários condenados, réus e processados no mensalão

José Nêumanne

22 de abril de 2020 | 21h19

Bolsonaro prometeu recriar o ministério do Trabalho para entregar ao corrupto e delator do mensalão, Roberto Jefferson, e pôs nas redes sociais bajulação do novo alilado. Foto: Reprodução YouTube

O presidente Jair Bolsonaro disse a seus devotos fiéis à frente do QG do Exército no dia do Exército que não quer negociar. Pode ser que não queira mais, mas a verdade é que ele já está negociando há semanas com condenados ainda cumprindo pena como Roberto Jefferson e Valdemar Costa Neto e o presidente do partido do símbolo da corrupção (Paulo Maluf), Ciro Nogueira. Isso é nova política?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.