Bolsonaro, Lula e o Nordeste
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonaro, Lula e o Nordeste

Quem inventou a polarização radical na política brasileira foi Lula, que lançou o nós contra eles na campanha em que venceu Alckmin mesmo enfrentando denúncias do mensalão

José Nêumanne

06 de agosto de 2019 | 10h36

Bolsonaro com o garoto Abner Miguel no colo, durante inauguração da Usina Fotovoltaica Flutuante na represa de  Sobradinho, no Rio São Francisco, Bahia. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Na posse, Jair Bolsonaro jurou cumprir a Constituição e governar para todos os brasileiros. Em teoria, isso afasta a hipótese de discriminar populações de Estados nordestinos cujos governadores se recusarem a aceitar a parceria com o governo federal. Em relação à manchete do Estado de hoje, extraída da entrevista exclusiva dada a Patrik Camporez, “Governadores do Nordeste agem para dividir o País”, seria o caso de esclarecer que, realmente, quem deu início à polarização radical que divide o Brasil em dois, “nós e eles”, foi o marketing político da reeleição de Lula. O presidiário é que, de fato, usou esse Fla-Flu para vencer Alckmin, que teve no segundo turno menos votos do que no primeiro, um feito negativo histórico. Isso numa época difícil para o então presidente, pois ele enfrentava a denúncia de corrupção no julgamento da Ação Penal 470, vulgo mensalão. Nem todos os governadores do Nordeste são do PT, mas os que não aceitam manter relações institucionais e apartidárias com o governo federal são petistas ou devotos do ex-presidente do partido.
Assuntos para comentário da terça-feira 6 de agosto de 2019

 1 – O presidente da República pode dizer como Jair Bolsonaro disse na Bahia que para receber verba federal os governadores do Nordeste teriam de citar a participação do governo federal no financiamento de alguma obra

 2 – Que tal a frase do presidente Jair Bolsonaro em entrevista a Leda Nagle, segundo a qual o próximo embaixador do Brasil em Washington vai ser filho de alguém e por que não podia ter sido dele

 3 – O que é possível comentar no episódio da demissão do presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais por causa de um bate-boca com o presidente Bolsonaro

SONORA_PONTES SENADORES B 0608

 4 – O que muda agora em relação à delação premiada do ex-ministro da Fazenda de Lula e da Casa Civil de Dilma depois que a Justiça o transferiu para o sistema aberto de prisão

 5 – O que altera a situação política do ministro da Fazenda, Sergio Moro, a comemoração que ele fez da apreensão recorde da Polícia Federal

 6 – O que significa para a Operação Lava Jato neste momento de dificuldades pelo qual passa por causa das denúncias do Intercept Brasil a prisão do empresário Valter Faria, do Grupo Petrópolis, acusado de ter lavado 329 mil reais

 7 – Quem tem razão no bate-boca público entre o Ministério Público Federal e o ministro do STF Gilmar Mendes

 8 – É possível falar em Fla-Flu na discussão por WhatsApp de procuradores federais a respeito do comportamento do colega Deltan Dallagnol, protagonista das denúncias do site The Intercept Brasil no noticiário

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: