As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonaro fora do inquérito de Aras

No pedido que fez ao STF para investigar ato de domingo, Dia do Exército, à frente do QG do Exército, procurador-geral da República não mencionou presidente, que foi ao local e fez discurso de apoio

José Nêumanne

21 de abril de 2020 | 22h15

Nomeado por Bolsonaro mesmo não estando na lista tríplice da corporação, Aras desconheceu presença do presidente no ato que pediu para STF investigar. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O presidente Jair Bolsonaro foi alertado por militares do governo de que sua participação no ato do domingo, Dia do Exército, à frente do Quartel General deste, exigindo intervenção militar com ele no poder, um novo AI-5 e o fechamento do Congresso e do STF pegou muito mal e expôs as Forças Armadas a uma situação constrangedora. Houve pedidos para que ele recuasse e se explicasse à população. Recados similares chegaram ao presidente da cúpula do Supremo sobre o perigo da escalada autoritária no País nesses protestos e advertências a respeito da leitura política que sinais emitidos por ele têm provocado. Na segunda 20 de manhã inverteu totalmente o sinal do discurso repreendendo apoiador que repetiu o pedido do fechamento do STF, dizendo-lhe que quer o Judiciário e o Legislativo independentes e transparentes. Bateu pino.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para comentário na terça-feira 21 de abril de 2020:

1 – Haisem – Bolsonaro recua e baixo o tom após pedido de militares – diz título de chamada do alto de primeira página no Estadão de hoje. Em que esse recuo atenua a participação do presidente da República no ato de domingo na frente do Quartel Geral do Exército contra a democracia e pela intervenção militar com ele no poder

2 – Carolina – PGR pede inquérito para investigar autoria de atos pró-ditadura – é a manchete de primeira página na edição do Estadão de hoje. Qual a importância desta investigação para o fortalecimento das instituições democráticas no Brasil nesta era da pandemia da covid-19

3 – Haisem – Qual a importância, a seu ver, da nota oficial emitida pelo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, esclarecendo a convicção das Forças Armadas na garantia do funcionamento da Constituição da República

4 – Carolina – São Paulo vai reabrir a economia de forma gradual a partir de 11 de maio – Este é título de outra chamada de primeira página do Estadão de hoje – O que esta decisão do governador João Doria esclarece sobre a questão do pico da pandemia do coronavírus e o isolamento social que tem sido usado como forma de deter a velocidade de seu contágio

5 – Haisem – O que você tem a dizer sobre a notícia segundo a qual o Tribunal Superior Eleitoral diz que ainda é possível realizar eleições municipais este ano no Brasil

6 – Carolina – Que lições, a seu ver, traz ao mundo inteiro – e ao Brasil em particular – a notícia de que o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, resolveu compor um governo de coalizão com seu maior adversário, Benny Grantz

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: