Bolsonaro festeja Witzel investigado

Festa no Planalto por Operação Placebo investigando acusações de desvios de verbas da saúde pelo Governador do Rio e sua mulher, Helena, não justifica justificativa de mera perseguição política

José Nêumanne

27 de maio de 2020 | 21h34

Em vez de se defender das gravíssimas acusações da Operação Placebo contra ele e a mulher, Helena, sobre desvios de recursos para combater covid-19, Witzel acusou Bolsonaro de persegui-lo. Foto: Governo RJ

Durante investigações de suposta interferência na Polícia Federal, o presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e aliados politizaram Operação Placebo na terça-feira, 26, tendo como alvo o governador do Rio, Wilson Witzel. Autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça, a devassa tem origem em investigação que apura desvios de recursos para atender emergência da covid-19 no Estado e foi interpretada no Planalto como um “troco” ao adversário político. Eufórico, o presidente deu “parabéns” à PF nas redes sociais. A declaração da deputada Carla Zambelli (PSL-SP), que antecipou operações contra governadores, e publicações nas redes sociais dos filhos de Bolsonaro serviram de pretexto ao governador que se diz alvo de perseguição política. Isso, contudo, não basta para inocentá-lo. Ele tem de, no mínimo, dar explicações. E não deu.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário na quarta-feira 27 de maio de 2020:

 1 – Haisem – Governador do Rio é alvo de operação da PF sobre desvios – Esta é a manchete de primeira página da edição do Estadão de hoje – Por que, na sua opinião, as pragas das palavras corrupção e Rio de Janeiro voltam a se encontrar em pleno pico da covid-19 na cidade e no Brasil

 2 – Carolina – Aliados de Bolsonaro tratam operação da PF como troco a Witzel em duas batalhas – diz título da capa do Portal do Estadão agora cedo. Você acha que a operação Placebo poderá ser mais uma evidência da interferência política do presidente da República na polícia judiciária

 3 – Haisem – Ministro do STF manda Weintraub se explicar à Polícia – diz chamada de primeira página do Estadão de hoje. Afinal,de quantos crimes é acusado o ministro da Educação pelo relator do inquérito das fakenews no Supremo Tribunal Federal, ministro Alexandre de Moraes

 4 – Carolina – PGR vai avaliar pedido para investigar portaria das munições – diz título da principal página da Editoria de Política no Portal do Estadão hoje – Você acha que o assunto merece mesmo esse destaque

 5 – Haisem – A milícia anunciada por um governo com gângsteres – é o título de seu artigo na Página de Opinião do Estadão hoje. Que aspectos você aborda para fazer essas duas afirmações tão duras

 6 – Carolina – Brasil tem mais mortes de covid-19 por dia no mundo – este é o título de chamada de primeira página na edição de hoje do Estadão – Por que você acha que chegamos a esse ponto mesmo tendo todas as vantagens proporcionadas pela posição no planisfério

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.