As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonaro entrega Brasil a corruptos

Lira, capacho de Cunha ou subCunha, e Pacheco, genérico de Alcolumbre e Renan, farão tudo o que o suspeitíssimo Centrão quiser e protegerão famiglia do capitão, em tese presidente da República

José Nêumanne

04 de fevereiro de 2021 | 20h33

Lira, na melhor das hipóteses capacho de Cunha,, na pior, subCunha, e Pacheco, genérico que mistura Alcolumbre e Calheiros, assinam carta de compromisso com bandeiras genéricas, que cumprirão ao gosto do Centrão. Foto: Luís Macedo/Câmara dos deputados

1 – O presidente entregou o País, que seu governo destroça, a antigos comparsas do Centrão, elegendo Lira, capacho de Cunha, presidente da Câmara, e Pacheco, genérico de Alcolumbre e Renan, do Senado. 2 – Isso favorece a impunidade de Flordelis, acusada de ter mandado matar o marido, Bia Kicis, investigada por participação em atos antidemocráticos, e o PM anônimo que matou Ana Clara, de 5 anos, em Niterói. 3 – O presidente da Câmara defende publicamente o combate à pandemia, mas fez festa com propagação do novo coronavírus, assim como Doria, que foi e voltou de Miami, e Bruno, que provocou a atual expansão do contágio em festa da vitória na eleição e a próxima ao aglomerar no Maracanã em jogo que não deveria ter torcida. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.