Bolsonaro é louco, diz Reale

Bolsonaro é louco, diz Reale

Co-autor do impeachment de Dilma, ex-ministro da Justiça cobra do procurador-geral da República convocação de junta médica para atestar verdadeiro estado de sanidade mental do presidente da República

José Nêumanne

17 de janeiro de 2021 | 12h00

Tendo atuado no processo de impeachment de Collor e autor, em parceria com a colega Janaína Paschoal, do processo do de Dilma, o ex-ministro da Justiça Miguel Reale Jr. exige do Ministério Público Federal que determine já que uma junta psiquiátrica ateste a eventual saúde mental do presidente da República, Jair Bolsonaro. Ciente da probabilidade de que o procurador-geral da República, Augusto Aras, não cumpra seu dever legal, o professor da Faculdade de Direito da USP relacionou na edição desta semana da série Nêumanne Entrevista uma relação de crimes de responsabilidade, que vão de conspirações contra as instituições da democracia, configurando evidências de autogolpe, até o comportamento criminoso na necessidade de coordenar o combate à pandemia da covid 19, atuando de forma declarada contra medidas sanitárias e sabotando providências para imunização. Reale reconhece a dificuldade de iniciar o processo pela cumplicidade de parlamentares e dirigentes de várias instituições da sociedade civil. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.