As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonaro conclama à guerra civil

Na reunião de 22 de abril, presidente determinou a ministros da Justiça e da Defesa que assinassem decreto com o qual pretende armar a população para reagir às PMs dos governadores inimigos

José Nêumanne

26 de maio de 2020 | 22h30

Moro cumpriu ordens de Bolsonaro e assinou decreto que aumenta em 33 vezes a  munição que pode ser guardada por um cidadão. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O ex-ministro da Justiça Sérgio Moro disse que sofreu pressão do presidente Jair Bolsonaro para aprovar a portaria que aumentou em 33 vezes o acesso a munições no País. Ao Estadão, Moro revelou que não se opôs ao presidente para não abrir um novo ‘flanco’ de conflito no momento em que tentava evitar a troca no comando da Polícia Federal, o que ele considera que daria margem para uma interferência indevida no órgão. A pressão de Bolsonaro para armar a população e aprovar a portaria ficou evidente com a divulgação da reunião ministerial de 22 de abril. Com sigilo levantado pelo decano do STF, Celso de Mello, o vídeo mostra Jair Bolsonaro determinandoque os ministros Sérgio Moro e Fernando Azevedo (da Defesa) providenciem a portaria que ampliava o acesso a munições. Uma clara conclamação à guerra civil.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos do comentário de terça-feira 26 de maio de 2020:

1 – Haisem – Moro diz que assinou portaria que triplicou o acesso a munição por pressão de Bolsonaro – é a manchete do noticiário da Editoria Política no Portal do Estadão hoje – Qual a importância na vida real que você enxerga nesta medida de aparência meramente burocrática

2 – Carolina – Ministros militares agora negociam com o Centrão – Esta é a manchete de primeira página na edição de hoje do Estadão. Que conseqüências para a imagem das Forças Armadas perante a população poderá ter, na sua opinião, uma notícia destas

3 – Haisem –O que você aborda no artigo desta semana no Blog do Nêumanne, sob o título Nada de ideologia, é delinqüência

4 – Carolina – Fora da agenda, Bolsonaro se convida para encontrar Aras – é o título de uma chamada de capa no Portal do Estadão hoje cedo. O que levou Bolsonaro a ser tão gentil e tão intruso nesta visita, hein, Nêumanne

5 – Haisem – Em inquérito sigiloso a Polícia Federal chegou ao vereador Carlos Bolsonaro, o filho dito 02 do presidente, como chefe do esquema criminoso de fakenews investigado por determinação do Supremo Tribunal Federal. Você acha que este inquérito terá condições de avançar nesta pista

6 – Carolina – Militares bolsonaristas espalham ameaças ao Supremo nas redes – noticia o Portal do Estadão na Editoria Política. A seu ver, estas ameaças podem se concretizar em que tipo de conseqüência contra nosso Estado de Direito

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: