As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonaro celebra PF contra inimigo

Presidente põe mais uma peça contra si próprio na investigação sobre interferência política na polícia judiciária, mas seu alvo, Witzel, não apresenta argumentos razoáveis contra Operação Placebo

José Nêumanne

28 de maio de 2020 | 07h18

Planalto faz festa para Operação Placebo contra Witzel e governador do Rio não apresenta argumentos sólidos contra investigação de corrupção em combate à covid-19. Foto: Wilton Jr./Estadão

Palácio do Planalto festejou com estardalhaço busca e apreensão da Operação Placebo nos gabinetes de Witzel, governador do Rio e inimigo de Bolsonaro. Não foi muito esperto. Mas nem isso justifica o fato de o alvo de um inquérito policial sobre roubo em gastos para combater a pandemia não ter nenhuma explicação a dar sobre seu envolvimento em mais um caso de corrupção no Estado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.