Bolsonaro arma milícias fardadas

Em vez de estar urdindo golpe militar, pode ser que presidente esteja fomentando rebelião de PMs contra inimigos governadores para torná-las milícias fardadas e muito bem armadas

José Nêumanne

18 de junho de 2020 | 00h02

Enquanto Bolsonaro esbraveja para seus apoiadores no chiqueirinho do Alvorada, Justiça, impassível, mantém olhos vendados no STF para não se oernutur impressionar com ele. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Ò ex-subcomandante da PM do Distrito Federal, coronel Sérgio Luiz Ferreira de Souza (e, por isso mesmo, corretamente foi demitido pelo governador Ibanêis Rocha), mostrou, ao não reprimir o atentado dos bolsonaristas que simularam bombardear a sede do STF com explosão de fogos de artifício, similar à feita por chefões do tráfico de drogas e de milícias na periferia miserável do Rio, que o autogolpe com que o presidente Jair Bolsonaro conta para evitar que polícia e Poder Judiciários desvendem e punam crimes de seus filhos, é de natureza policial-militar. Ou seja, nada tem que ver com Forças Armadas, cuja baixa oficialidade e os generais de camisolão dependurados nos cabides de emprego do governo federal de fato o apoiam, mas não quem comanda tropas. As PMs estaduais estão sendo doutrinadas pela direita chula há muito tempo e vários episódios que cito neste vídeo comprovam esse risco. Além disso, também chamo a atenção para buscas, apreensões e quebras de sigilo bancário de empresários e parlamentares de direita burra e insana, que financiam e organizam atos antidemocráticos. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.