Bolsonaro alicia PMs

Cercado de oficiais PM no Planalto, presidente parece não fazer mais muita questão de manter oculto seu projeto de armar milícias populares à venezuelana passando por cima da autoridade dos governadores

José Nêumanne

05 de junho de 2020 | 22h32

Para deixar claro que vaicriar Mnistério de Segurança Pública para tornar PMs estaduais milícias populares armadas, Bolsonaro reuniu-se com provável ministro Torres. Foto: Reprodução Twitter

Depois de ter anunciado, na famigerada reunião de 22 de abril, que planeja armar milícias populares para combater o que chamou de “ditaduras” dos governadores, o presidente da República, Jair Bolsonaro, já deu outros inúmeros sinais de que as PMs, teoricamente sob comando dos governos estaduais, são redutos bolsonaristas que podem servir a propósitos já confessados por ele próprio e por apoiadores e familiares, como o filho 03, que já anunciou publicamente que a ruptura não é mais uma questão de “se”, mas agora é de “quando”. Nesta quarta-feira 3 de junho, por exemplo, p chefão avisou a caçadores, atiradores e colecionadores de armas de fogo que editará novas medidas para flexibilizar posse e porte de armas de fogo. O antropólogo fluminense Luiz Eduardo Soares, especialista em segurança pública, publicou texto no Facebook alertando militantes pela democracia e contra o fascismo que devem evitar confrontos na rua para não facilitarem algum golpe de força. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.