Bolsonaro, a Globo e o caso Marielle
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonaro, a Globo e o caso Marielle

Notícia do Jornal Nacional de que motorista do assassino da vereadora teria entrado no condomínio onde moram Ronnie Lessa e ele, com autorização de alguém em sua casa, o enfureceu

José Nêumanne

30 de outubro de 2019 | 12h20

Na Arábia Saudita, que visita, Bolsonaro atribuiu divulgação da versão do porteiro de seu condomínio a canalhice da Globo e conluio para incriminá-lo de Witzel. Foto: Jair Bolsonaro/Twitter

O Jornal Nacional deu a notícia de que no dia em que Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes foram executados Élcio de Queiroz, apontado pela polícia como o motorista do carro que levou o suposto assassino Ronnie Lessa ao local do crime, entrou no  condomínio Vivendas da Barra como visita de Bolsonaro, então deputado federal. Mas o porteiro contou à policia que, com autorização de alguém na casa do presidente, não o teria abordado quando foi, na verdade, à casa do pistoleiro. A Globo errou ao não ouvir antes de publicar a versão de Bolsonaro e este ao fazer uma live furiosa, que deveria ter sido serena.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para o comentário da quarta-feira 30 de outubro de 2019

1 – Haisem – Menção de testemunha a Bolsonaro pode levar caso Marielle ao Supremo – esta é a manchete no portal do Estadão que está no ar. Esta notícia caiu como uma bomba esta manhã no País atônito. Que conseqüências para a vida do cidadão comum ela pode ter

2 – Carolina – Em resposta à notícia o presidente fez uma live reclamando furiosamente contra a Globo e o governador do Estado do Rio, Wilson Witzel. Esta teria sido a reação adequada para a ocasião

SONORA_BOLSO GLOBO 3010

3 – Haisem – A manchete do Estadão hoje é a seguinte: Bolsonaro pede desculpas ao Supremo por vídeo de hienas. O que levou o presidente da República a tomar esta atitude no Extremo Oriente, onde está no momento, SONORA_BOLSO RETRATACAO 3010

4 – Carolina – De que tipo de informação sigilosa o ministro do STF Marco Aurélio Melo dispõe para defender a hipótese de o vídeo infeliz divulgado no perfil do presidente ter a ver com os áudios em que o ex-assessor de seu filho Flávio na Alerj, Fabrício Queiroz, diz ter conversado com o chefe da família presidencial a respeito de demissões de servidores em gabinetes

5 – Haisem O que explica, a seu ver, o entusiasmo e a pressa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para começar a por em prática a pauta do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, de fazer uma lei para congelar prescrições após condenação em segunda instância

6 – Carolina – O que mais lhe chama a atenção na notícia de que o desembargador substituto do relator da Lava Jato no Superior Tribunal de Justiça, Leopoldo Andrade, suspendeu o julgamento do processo de Lula sobre o sítio de Atibaia, que estava marcado para hoje naquela corte

7 – Haisem – Na primeira página, o Estadão de hoje publica uma chamada com o seguinte título: Tumor que afeta Covas afeta entre os jovens. O que você achou da atitude do prefeito de São Paulo em tornar pública sua doença grave e se manter no cargo, fazendo o oposto do que sempre os governantes fizeram no Brasil

8 – Carolina – O que você quis dizer com o título de seu artigo na página 2 do Estadão hoje – O caso do STF é de teratologia

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: