Bezerro de ouro convive com a miséria

Brasileiros que dão duro para sustentar uma casta estatal glutona e estroina têm como herói autêntico o garoto que caminha 30 quilômetros para estudar, e não o símbolo copiado dos ricos de verdade

José Nêumanne

18 de novembro de 2021 | 18h21

Dourado do touro da elite financeira reforça a breguice de uma casta que enriquece no mercado de capitais, mas não abandona seus arraigados hábitos de novos ricos. Foto: Tiago Queiroz/Estadão

1 – Touro dourado na frente da sede da Bolsa de Valores em rua central de São Paulo materializa a insensibilidade desumana de ricaços brasileiros. 2 – Governantes de França, Alemanha e Espanha trataram Lula com honras de estadista em desafio a policiais, promotores e juízes que o condenaram 3 – Em 2021, morreram 195.965 brasileiros mais do que em 2020 por causa da covid, prova estatística do crime cometido pelo desgoverno Bolsonaro. #joseneumannepinto. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade vai nos salvar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.