Bakunin define desgovernança
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bakunin define desgovernança

O anarquista Bakunin é citado em carta de poeta juiz para definir a desgovernança petista que desmilinguiu nosso País

José Nêumanne

29 de março de 2016 | 10h44

Reproduzo magnífica carta do poeta Newton de Lucca, que conheci ao chegar a São Paulo em 1970 como poeta, publicada hoje na coluna Fórum dos Leitores do meu, do seu, do nosso Estadão velho de guerra. Hoje ele é titular de Direito na USP e juiz federal. Nela de Lucca cita Mikhail Bakunin, que, no século 19, escreveu contra Marx e vale hoje em pleno século 21 contra a petralhada fascistoide. O que ele escreveu é seminal para entender a desgovernança de Despoderado Chefão e de Dilama, que destruíram o País:

bakunin

Palinódia

Em meu último livrinho de poemas, fiz uma palinódia em homenagem a Mikhail Bakunin, que viveu entre 1814 e 1876. Transcrevi dele, na epígrafe, a seguinte frase: “Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado para considerar esta questão, chega-se ao mesmo resultado execrável: o governo da imensa maioria das massas populares se faz por uma minoria privilegiada. Esta minoria, porém, dizem os marxistas, compor-se-á de operários. Sim, com certeza, de antigos operários, mas que, tão logo se tornem governantes ou representantes do povo, cessarão de ser operários e por-se-ão a observar o mundo proletário de cima do Estado; não mais representarão o povo, mas a si mesmos e suas pretensões de governá-lo. Quem duvida disso não conhece a natureza humana”. Confessei ao meu “irmão de armas” José Nêumanne o meu receio íntimo: do jeito que a “tigrada” tem agido, será que estarei correndo o risco de ser chamado, agora, de fascista? Valha-me Deus…

delucca

NEWTON DE LUCCA, poeta, professor titular da Faculdade de Direito da USP e magistrado federal

São Paulo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: