Bagulho no avião da FAB

Bagulho no avião da FAB

São absurdas declaração do chefe do GSI sobre "falta de sorte" e decisão da FAB de manter sob sigilo inquérito sobre embarque de cocaína com sargento no avião que levou Bolsonaro à reunião do G 20 em Tóquio

José Nêumanne

28 de junho de 2019 | 12h16

Não há por que manter sob sigilo informações sobre embarque de cocaína no avião presidencial com segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, preso em Sevilla, na Espanha, Foto: Reprodução

A declaração do chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Augusto Heleno, segundo quem a descoberta de um pacote de cocaína de 39 quilos na bagagem do segundo sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues foi apenas “falta de sorte” é de tal forma disparatada que o porta-voz do presidente, general Rêgo Barros, foi obrigado a mais uma vez explicá-la. Para deixar claro que faltou sorte não ao traficante internacional fardado, definido como “mula qualificada” pelo vice Mourão no exercício da Presidência da República, mas, sim, ao Brasil, por ter ele acomodado o bagulho no avião presidencial em voo para a reunião no G20 em Tóquio. Difícil dizer o que foi mais ridículo, a frase ou seu complemento. Não faltou sorte, não, general, faltou mesmo foi competência.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para comentário da sexta-feira 28 de junho de 2019

1 – Haisem – Você concorda com a desculpa dada pelo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, de que a descoberta de 39 quilos de cocaína com o segundo sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues foi apenas “falta de sorte”

SONORA_FALTA DE SORTE

2 – Carolina – Qual, a seu ver, terá sido a causa de mais uma queda de popularidade do governo do presidente Jair Bolsonaro segundo o Ibope

3 – Haisem – Será que o ministro do Turismo de Bolsonaro, Marcelo Álvaro Antônio, continuará sendo mantido no primeiro escalão do governo como “impávido colosso”, mesmo depois da prisão de seu assessor e do coordenador de sua campanha na eleição

4 – Carolina – A entrevista concedida pelo ministro do STF Gilmar Mendes à GloboNews na noite de quarta-feira foi uma boa ideia ou você acha que passará incólume por mais essa

5 – Haisem – Você se surpreendeu com o depoimento do ex-presidente do BNDES Joaquim Levy reafirmando, como, aliás, muita gente o faz no chamado mercado, que não há a tão esperada “caixa preta” do banco

6 – Carolina – Qual é sua opinião sobre essa medida anunciada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, de liberar R$ 100 bilhões dos depósitos compulsórios dos bancos no Banco Central  para a economia

7 – Haisem – Você acha que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, fez bem ao comparar a cocaína encontrada com o membro da tripulação do avião da FAB que transportou Bolsonaro para a reunião do G 20 no Japão

8 – Carolina – O que você tem a dizer do tuite do deputado Eduardo Bolsonaro sobre a advogada Daniela Teixeira, primeira da lista tríplice encaminhada ao pai dele, Jair Bolsonaro, para ocupar uma vaga no Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.