As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

As carpideiras de Levy

Guedes e Bolsonaro erraram quando puseram economista na presidência do Bradesco. não quando o demitiram, e sucessor, Montezano, terá imensa dificuldade para abrir caixa preta, pois Coutinho pode ter exterminado o que se quer saber

José Nêumanne

18 de junho de 2019 | 06h54

Corporação imensa e privilegiada do BNDES, que já paralisou Sílvia Bastos, Paulo Rabelo e Joaquim Levy torna árdua tarefa do novo presidente, Gustavo Montezano. Foto: Fábio Motta/Estadão

Políticos e agentes do tal de mercado que execraram a forma mal educada com que Bolsonaro dispensou o economista da presidência do BNDES fingem não ver que o presidente errou quando o nomeou, não quando o demitiu. Agora a batata quente de ter de enfrentar a corporação imensa e privilegiada do banco público e domá-la é do doutor em Finanças Gustavo Montezano, que dificilmente ainda encontrará alguma caixa preta a abrir, pois é improvável que petista Luciano Coutinho não tenha tido a cautela de deletá-la. Este é meu comentário no Estadão Notícias, desde 6 horas da terça-feira 18 de junho de 2019.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player

Tendências: