As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aras, despachante-geral dos Bolsonaros

Na PGR bolsonaristas, vice-procurador Humberto Jacques recorreu contra MP-RJ para beneficiar Flávio e seu chefe, Aras, deu parecer contra recurso para forçar Maia a decidir sobre impeachment de Jair

José Nêumanne

28 de agosto de 2020 | 21h29

Jair e Flávio têm contado com fidelidade total do procurador-geral Aras, nomeado mesmo sem ter figurado na lista tríplice da corporação para o cargo. Foto: Ernesto Rodrigues/Estadão

Nesta semana tétrica para os três poderes da República, o subprocurador-geral Humberto Jacques de Medeiros despachou ao STF contra recurso do MP do Rio contrariando decisão do TJ-RJ de conceder foro privilegiado ao ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro no inquérito do peculato na Alerj. Enquanto isso, o procurador-geral Augusto Aras considerou “indevida” intervenção do STF na abertura de inquérito de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, que Maia se nega abrir, sob o argumento que o assunto é político, não jurídico. Ou seja, a PGR cumpriu o papel que seria mais adequado a um escritório de despachos para a famiglia presidencial. E subiu a temperatura do fogo no inferno astral do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro com o cancelamento Pela 8.ª Turma do TRF-4 de Porto Aledgre de uma sentença dele contra um tesoureiro do PT e um empreiteiro condenado por lhe pagar propina. Trata-se de um verdadeiro deus-nos-acuda para a Lava Jato. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: