Anvisa fez o certo ao parar o jogo

Argentinos descumpriram decisão dos Ministérios da Saúde, da Justiça e da Casa Civil do Brasil, alegando que cumpriam condições sanitárias combinadas com a Conmebol e escalaram quem devia cumprir quarentena

José Nêumanne

06 de setembro de 2021 | 19h53

Os argentinos recusaram-se a jogar sem os três titulares e um reserva que teriam de cumprir quarentena por decisão da Anvisa e a seleção brasileira manteve-se em campo para evitar indícios de desistênc8ia. Foto: Nelson Almeida/AFP

O jogo Brasil X Argentina pela sexta rodada das Eliminatórias do Mundial da Fifa foi suspenso após um episódio insólito, que gerou enorme confusão. Aos cinco minutos do primeiro tempo, agentes da Anvisa e da Polícia Federal entraram em campo para parar o jogo por causa de quatro jogadores argentinos que não cumpriram as regras sanitárias em território brasileiro e, por isso, não poderiam jogar. Foi inusitado, insólito, inusitado e inexplicável. Por que a PF não barrou os quatro no aeroporto? Por que a Polícia Federal não apoiou a Anvisa evitando que os quatro treinassem? Por que a PF permitiu que os quatro embarcassem no ônibus, descessem no estádio e fossem ao vestiário? Por que a PF permitiu que a AFA fechasse os vestiários? O que motivou a teimosia dos argentinos em não jogar sem os quatro?

Para ouvir comentário clique no link e, em seguida, no play:
https://soundcloud.com/jose-neumanne-pinto/neumanne-060921-direto-ao-assunto-1
Assuntos para segunda-feira 6 de setembro de 2021-09-06

1 – A batalha que a Anvisa barrou – Este é o título de um texto legenda de foto de Alex Silva, do Estadão, retratando o jogo entre Brasil e Argentina, que durou cinco minutos na Arena Neoquímica, pelas eliminatórias do Mundial do Qatar. O que houve de insólito no grotesco espetáculo do domingo

2 – O mau exemplo de Bolsonaro em campo – Este é o título do vídeo publicado no Blog do Nêumanne no portal do Estadão que está no ar neste momento. O que provocou e qual foi a maior vítima da partida interrompida ontem no campo do Corinthians

3 – Ministros ainda avaliam se devem tomar parte dos atos – Este é o título de primeira página da edição impressa do Estadão de 6 de setembro de 2021. O que causa essa dúvida na Esplanada dos Ministérios a respeito da adesão do primeiro escalão do governo Bolsonaro à exibição de força que o presidente da República pretende dar, ameaçando até a democracia

4 – Esquema de pirâmide financeira se alastra e mobiliza a Comissão de Valores Mobiliários – Esta é a manchete de primeira página do jornal desta segunda-feira. O que facilita e incentiva esse crime financeiro neste nosso Brasil da pandemia e das crises

5 – Bolsonaro tem que sair já, diz Rabinovic – Este é o título do vídeo da série Nêumanne Entrevista publicada semanalmente no Blog do Nêumanne no portal do Estadão. O que justifica posição tão peremptória do veterano de coberturas do Estadão no Oriente Médio sobre as crises que atualmente ocorrem em nosso país

6 – Segredos do sucesso de Maurício de Sousa – Este é o título do vídeo semanal da série Dois Dedos de Prosa, publicada no portal do Estadão que está circulando. O que há de interessante e até comovente na história do criador de Mônica e Cebolinha nos quadrinhos brasileiros

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.