Alexandre desautorizou Bolsonaro

Presidente tentou por na direção-geral da PF amigo da família para livrar filhos de inquéritos que os incriminarão, mas ministro do STF impediu que tentativa de aparelhar polícia judiciária ocorresse

José Nêumanne

29 de abril de 2020 | 20h39

Ramagem conheceu Bolsonaro na campanha em 2018, mas foi nomeado diretor-geral da PF para livrar a cara dos filhos do presidente em inquéritos de fake news. Foto: Adriano Machado/Reuters

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, proibiu a posse de Alexandre Ramagem, presidente da Abin, na direção-geral da PF. O presidente Jair Bolsonaro demitiu Maurício Valeixo do cargo exigindo do ex-ministro da Justiça Sergio Moro que nomeasse para o lugar este amigo de confiança de seus filhos, mas o PDT pediu e STF aceitou a suspensão da posse pelo uso evidente de desvio de finalidade.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.