Água, esgoto e emprego

Aprovação por 65 a 13 do relatório do marco legal do saneamento, mais importante do que a reforma da Previdência, feito pelo senador Jereissati, revela isolamento da esquerda nas decisões políticas importantes

José Nêumanne

26 de junho de 2020 | 21h30

Tasso usou no marco legal do saneamento experiência no governo do Ceará quando participou do debate sobre a transposição do Sao Francisco. Foto: Fábio Campanato PLozzebon/Agência Brasil

Depois de 20 anos de luta contra a resistência da esquerda atrasada, o governo e o Congresso aprovaram em quatro turnos a reforma constitucional do marco legal do saneamento básico. Foi aprovado na noite da quarta 24 de junho o relatório do senador Tasso Jereissati, negociado com o governo federal. Trata-se de um avanço civilizatório maior do que a reforma da Previdência. Dinheiro de investidores estrangeiros ajudará a enfrentar a pesada recessão econômica pós-pandemia e espera-se que se universalize o acesso a água encanada e esgoto no Pais até 2033, um feito que a Europa resolveu há séculos. Agora é ficarmos atentos para evitarmos desvios de corrupção e atrasos por incompeténcia, na esperança de que a nova lei traga empregos dignos e bem remunerados, afastando para longe o fantasma de falências e fome. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.