Agora só em agosto

Plano de Gilmal parecia perfeito quando pediu vista do recurso de Lula em dezembro e devolveu para julgamento um dia após publicação do Intercept, mas falhou ao não combinar a pauta da reunião com presidente Cármen Lúcia

José Nêumanne

24 de junho de 2019 | 22h46

Gilmal calculou direitinho o momento de pedir vista e a hora de devolver processo de Lula para julgamento, mas se esqueceu do detalhe de combinar com Cármen. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Diante da expectativa de ter de enfrentar manifestação de caminhoneiros em torno do prédio do STF durante julgamento do recurso da defesa de Lula argumentando parcialidade de Moro, Segunda Turma terminou adiando o julgamento para agosto, gorando plano original de Gilmal Mendes.

Para ver comentário no Jornal da Gazeta da segunda-feira 24 de junho de 2019 clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.