Aécio réu

Aécio réu

Ao ser considerado réu por turma do STF, Aécio complica próprio futuro politico e deixa tucanos sem alternativa a sua expulsão, além de dificultar escolha de candidato viável do centro em eleição presidencial

José Nêumanne

18 de abril de 2018 | 11h30

Ao tentar defender-se do indefensável, Aécio produz mais evidências de sua culpa e das jaças de seu caráter. Foto: Fabio Rodrigues/EFE

Aécio réu é pouco. O senador tucano foi a esperança de construir um projeto democrático de governo contra o legado malfazejo de PT e PMDB de Lula, Dilma e Temer, ao sair vitoriosa da derrota na eleição de 2014, mas logo mostrou o lado sombrio de seu caráter, que é só jaça, ao não corresponder à esperança popular de uma atuação no Senado digna de sua votação. Ficou evidente em sua postura que a oposição de fancaria custava milhões em propinas e, em vez de pedir desculpas pelos delitos flagrados, aplicou o golpe manjado de desqualificar um delator premiado já tão desqualificado que desqualifica qualquer interlocutor, inclusive e principalmente gente como ele. Agora é cobrar que os tucanos o expulsem antes que sejam envenenados de uma vez.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107.3 – na quarta-feira 18 de abril de 2018, às 7h40m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Para ouvir Abre-te, Sésamo, de e com Raul Seixas, clique aqui

 

Abaixo, os assuntos do comentário:

 

1 – Haisem – Você insiste muito aqui que tucano nunca é punido pelo Judiciário. Mudou de opinião agora depois de Aécio Neves se ter tornado réu em decisão unânime na Primeira Turma do Supremo Federal?

Sonora STF 1804 AÉCIO

 

2 – Carolina Quais serão as consequências que essa decisão do STF terá no âmbito do PSDB e no panorama eleitoral este ano?

 

3 – Haisem O reconhecimento pela Primeira Turma do STF no julgamento de Aécio de que as provas obtidas a partir da delação premiada dos executivos da JBS muda alguma coisa nos inquéritos contra o quadrilhão do PMDB, incluindo aí Temer, Moreira e Padilha? Rodrigo Janot tem razão em comemorar, como comemorou, a decisão nas redes sociais?

 

4 – Carolina Enquanto isso, a Segunda Turma do mesmo STF, por 3 a 2, manteve a decisão monocrática de Dias Toffoli devolvendo a elegibilidade requerida pelo ex-senador Demóstenes Torres, embora não lhe tenha devolvido o exercício do mandato, que foi cassado pelo Senado. Você diria que no Supremo prevalece a velha lei dos dois pesos, duas medidas?

Sonora DEMÓSTENES 1804 A TOFFOLI

 

5 – Haisem  A decisão da Segunda Turma aprofunda a divisão no plenário do Supremo pelo fato de uma decisão monocrática de outro ministro ter negado a mesma liminar? E como ficam as relações entre o Judiciário e o Legislativo com o STF tornando possível o ex-senador disputar a eleição depois de o Senado tê-lo tornado inelegível até 2023?

 

6 –Carolina A que conclusões você chega a respeito da encenação produzida pelos senadores de esquerda na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula está preso?

 

7 – Haisem Por que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, bateu de frente com o ministro do STF Gilmar Mendes, que a indicou para o cargo junto ao amigo comum Temer, e vetou inquérito sobre o uso de algemas em Sérgio Cabral?

 

8 – Carolina A turminha do Planalto tem algum motivo para comemorar as mudanças detectadas pelo Datafolha na popularidade do presidente Temer?

 

SONORA Abre-te Sésamo Raul Seixas

https://www.youtube.com/watch?v=7CFf_6Ow47c

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.