Adiar eleições é golpe

Com o falso pretexto na ponta da língua de que é preciso economizar para usar Fundo Partidário para combater coronavírus, inimigos do povo pretendem adiar eleições municipais para 2022, golpe contra o povo

José Nêumanne

21 de março de 2020 | 15h35

Líder do Podemos na Câmara, deputado Léo Moraes, de Rondônia de Alcolumbre, quer adiar eleições municipais de outubro para 2022 por causa do coronavírus. Foto: Luís Macedo/ Câmara dos Deputados

O bochicho nos corredores das sedes dos três poderes da República, em Brasília, de conspiradores querendo adiar eleições municipais deste ano para 2022 por causa da pandemia que assola e assusta o Brasil é tão intenso que o ministro do STF e do TSE Luís Roberto Barroso sentiu-se na obrigação de garantir que não há motivo nenhum para esse adiamento, pois outubro ainda está muito longe e há tempo para realizar o pleito. O pretexto é unificar todas as disputas num ano só para economizar. É um motivo cínico, pois, como se sabe, as votações custam cada vez mais. Está na hora de fazer um panelaço unindo todo mundo para forçar o Legislativo a devolver os 19 bilhões de reais de emendas para prefeitos ao Orçamento da União e usar os fundos eleitoral e partidário para financiar o combate à terrível pandemia. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.