Achaque nojento
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Achaque nojento

Descoberta pela Coaf de movimentações financeiras atípicas em contas bancárias de 75 assessores e ex-assessores de 21 deputados estaduais do Rio revela escândalo do achaque de servidores por parlamentares

José Nêumanne

14 de dezembro de 2018 | 16h37

Geddel (ao lado de Temer, de quem foi ministro), assim como seu irmão, Lúcio, é acusado de forçar partilha de salários de assessores. Foto: Evaristo Sá/AFP

A parlamentar mais votada do Brasil, Janaína Paschoal, deu enorme contribuição à discussão sobre apropriação indébita de salários de assessores por parlamentares, reaberta com o caso do PM Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito, revelando no Twitter a palestra de um funcionário da Corregedoria da Alesp para novos deputados. Nela, o servidor contou que funcionários que ousam denunciar o esquema são automaticamente demitidos e obrigados a devolver os vencimentos que recebeu. Por aí já se vê como é tratado esse tipo cínico de fraude e lavagem de dinheiro em casas nas quais as leis são feitas. O assunto precisa ser dissecado até o osso.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na sexta-feira 14 de dezembro de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

 

 

 

Assuntos para o comentário de sexta-feira 14 de dezembro de 2018

 

1 – Coaf revela movimentações atípicas de 75 assessores ou ex-assessores de 21 deputados. Janaína Paschoal deu em sua conta no Twitter depoimento importante sobre devolução de dinheiro de funcionários de gabinetes para parlamentares titulares da Alesp. Isso vai dar em quê?

2 – Flávio Bolsonaro atribuiu à imprensa repercussão dos casos de seus assessores Fabrício Queiroz e tenente coronel PM Wellington Sérvulo Romano da Silva (fez 248 viagens a Portugal e manteve o salário)

3 – Ibope CNI constata que 75% dos brasileiros entrevistados concordam com o que Bolsonaro tem decidido até agora

4 – Ministro do Trabalho que reclamou do fechamento da pasta, Caio Vieira de Melo, foi afastado do cargo na Operação Registro Espúrio pelo STF

5 – Temer assina MP que libera controle de 100% de companhias aéreas nacionais por empresas estrangeiras

6 – O ministro do STF Luiz Fux determinou a prisão de Cesare Battisti e devolveu ao presidente da República, Temer ou Bolsonaro, decisão final sobre sua extradição à Itália

7 – Nove meses depois da execução de Marielle Franco e Anderson Gomes, general diz que Marielle Franco foi morta por causa de grilagem de terras e polícia intercepta plano para matar Marcelo Freixo

8 – Qual sua expectativa da repercussão da entrevista do titular aposentado da USP José Augusto Guilhon de Albuquerque ao Blog do Nêumanne