Abuso de autoridade
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Abuso de autoridade

Juiz mandou suspender transferência de Cabral para solitária, ordenada por promotor, que alegou ter sido desacatado por postura arrogante do "interno", por um motivo mais do que justo: violava a lei

José Nêumanne

25 de julho de 2018 | 07h14

 

Punição a Cabral dada por promotor por suposto desacato foi desautorizada pelo juiz por ser fora da lei. Foto: Rodrigo Félix/Gazeta do Povo

 

A atitude atrabiliária do promotor André de Freitas, ao mandar o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral para a solitária por considerar desrespeitosa sua postura diante da sua “otoridade” dá sentido ao uso da expressão “abuso de autoridade”. Promotores e juízes, empolgados com a boa fama que estão gozando perante a sociedade por sua atuação no combate aos criminosos de colarinho-branco, exageram e o juiz Rafael Estrela fez muito bem em mandar o “interno” de volta à cela coletiva, avisando que a ordem do promotor foi absolutamente fora da lei. Alguém precisava contar ao dr. Freitas que promotor é parte no processo e só quem julga e determina é o magistrado, ninguém mais. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no ar no Portal do Estadão desde as 6 horas da quarta-feira 25 de julho de 2018.

Para ouvir clique aqui