A tragédia do descaso
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A tragédia do descaso

Banho de sangue de Manaus não foi o primeiro nem será o último na guerra travada nos presídios

José Nêumanne

03 de janeiro de 2017 | 11h49

Depois do banho de sangue dentro, a batalha por informação fora do presídio

Depois do banho de sangue dentro do presídio, a batalha dos parantes dos presos por informações destes

Diante da notícia do banho de sangue trágico no presídio de Manaus, o presidente Michel Temer não foi ao local, mas para lá mandou seu ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, oferecer ao governador José Melo, outro ausente, vagas em presídios federais de segurança máxima para líderes do massacre da guerra das duas facções criminosas que fizeram 60 vítimas na virada do ano novo. O descaso do presidente e do governador, tratando o assunto como rotineiro, em nada contribuem para reduzir as perspectivas desta crônica da tragédia anunciada na violência e insegurança brasileiras de todo dia, mas, ao contrário, prenunciam que outros virão, talvez com números ainda mais assustadores.

(Comentário no Estadão no Ar da Rádio Estadão – mFM 92,9 – na segunda-feira 2 de janeiro de 2017, às 7h08m)

Para ouvir, clique no link abaixo e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

 

Tendências: