A graça do interior na arte de Jessier

A graça do interior na arte de Jessier

A história dos dois matutos conversando sobre a eleição em que teriam de votar em quem não estivesse preso por corrupção é clássico do humorista e poeta paraibano em shows de realismo político

José Nêumanne

23 de maio de 2021 | 14h34

1 – A mãe apreciava novelas de um tal de #ressier, que o pai entendia como sendo #jessier, natural de #campinagrande e atualmente morando na terra da mulher, #enedina, #itabaiana, ambas cidades da #paraiba, depois de passagem por #recifepernambuco. 2 – #jessierquirino, protagonista da semana da série #doisdedosdeprosa, foi arquiteto, mas trocou o desenho pela palavra, tornando-se um contador de causos populares do #sertao.. 3 – Descoberto por acaso por #rolandoboldrin, tornou-se conhecido depois que interpretou um #filmedegangster narrado por um #matuto, no #sombrasil. 4 – Crítico mordaz da #politica, conta a piada da eleição para o #senado em que o eleitor optou por votar no candidato que estivesse solto, já que o adversário estaria preso. #joseneumannepinto. #diretoaoassunto. Inté. E só a verdade salvará as nossas vidas.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.