A contradição absurda de Bolsonaro

Em cadeia de rádio e televisão presidente disse defender liberdade e democracia, mas exaltou o golpe que deu início à ditadura militar de 1964, ocorrência histórica que nada tinha a ver com independência comemorada

José Nêumanne

08 de setembro de 2020 | 21h14

Em pronunciamento em cadeia de rádio e TV, Bolsonaro disse defender liberdade e democracia, mas voltou a celegrar o golpe que instalou ditadura militar.Foto: Reprodução

No dia em que o Brasil celebrou 198 anos da independência e atingiu 127 mil mortos pelo novo coronavírus, o presidente |Jair Bolsonaro fez na noite de segunda-feira um pronunciamento em que ignorou a pandemia, não destacou a agenda de reformas de governo e procurou dar ênfase à “liberdade dos brasileiros”. Bolsonaro afirmou ter compromisso com a democracia, mas, em cadeia nacional de rádio e TV, voltou a celebrar o golpe de 1964 – que instalou a diltadura militar. Essa foi a primeira vez que o presidente se manifestou em pronunciamento desde abril. Durante a fala do Dia da Independência, foram registrados panelaços pelo País. Não se podia esperar outra coisa para reagir a contradição tão absurda quanto essa, do chefe do governo.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play:

Assuntos para comentário na terça-feira 8 de setembro de 2020

1 – Haisem – Bolsonaro diz defender democracia, mas celebra golpe de 64 – Esta é a manchete da Editoria de Política no Portal do Estadão neste instante. Afinal, o presidente da República é um democrata convicto ou o nostálgico da ditadura de sua grei que demonstra ser, hein?

2 – Carolina – O presidente da República convocou seus seguidores a seguirem o secretário especial da Cultura, Mário Frias, em sua rede social particular e na da secretaria depois da paródia em que o humorista Marcelo Adnet o ironizou por conta de uma campanha exaltando o heroísmo lançada na semana da Pátria.  O que você achou dessas atitudes todas

3 – Haisem – Censura, o único refúgio de Flávio – Este é o título de seu artigo semanal no Blog do Nêumanne, neste momento no Portal do Estadão. O que destaca seu texto

4 – Carolina – A que conclusão você chegou após tomar conhecimento da divulgação da pesquisa do Ibope segundo a qual 38% da população inculpa a própria sociedade pelo péssimo desempenho do combate à pandemia no País e 33% aponta para o presidente da República como o maior responsável

5 – Haisem – Governo quer militares na Amazônia até o fim de 2022 – Esta é a manchete de primeira página da edição impressa do Estadão hoje.  Como você recebeu esta notícia

6 – Carolina – O que você tem a dizer do assédio judiciário denunciado pelo professor Marco Antônio Villa por causa de suas críticas ao desempenho de Jair Bolsonaro na chefia do Poder Executivo no canal no YouTube

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.