A caradura de Cunha

A caradura de Cunha

Despacho de Moro mantendo Cunha preso deixa claro que soltá-lo implica fragilizar Lava Jato

José Nêumanne

13 de fevereiro de 2017 | 10h30

Preso, Cunha tentou intimdar Temer. O que não faria solto?

Preso, Cunha tentou intimidar Temer. O que faria solto? Foto Jason Silva/Estadão conteúdo

O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha continua se superando em matéria de ousadia e essa desfaçatez só vai continuar se a decisão do juiz Sergio Moro de mantê-lo preso, depois de constatar que ele, solto, tentará ocultar o patrimônio resultante de propinas mudando-o para outras contas em outros bancos, não passar pelo crivo dos tribunais superiores. É imperativo manter Cunha preso sob pena da desmoralização generalizada da Justiça, a partir dos escalões mais altos, mas chegando até a uma desautorização das investigações em curso. A propósito, em editorial publicado domingo, intitulado Os méritos da Lava Jato, o Estadão defendeu a continuação da operação, como quer o povo.

(Comentário no Estadão no Ar 2 da Rádio Estadão – 92,9 – na segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017, às 7h40m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site Estação Nêumanne, no ícone play

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.