As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonarista não suporta humor

Secom de Bolsonaro reproduz vídeo brega estrelado por secretário especial de Cultura, usa trilha sonora sem autorização do autor e compartilha insultos contra humorista que o parodiou, uma lambança geral

José Nêumanne

08 de setembro de 2020 | 21h35

Mário Frias estrelou filme cafona sobre heróis brasileiros para Dia da Pátria e chamou humorista Marcelo Adnet, que o parodiou de “bobão”, “garoto frouxo” e “palhaço decvadente”. Foto: Reprodução/YouTube

No Dia da Pátria, cuja comemoração foi sequestrada pelos bolsonaristas na frente do Palácio da Alvorada, onde os asseclas do presidente costumam reunir, Jair Bolsonaro recomendou a seus fiéis apoiadores o filmete brega produzido e interpretado pelo canastrão Mário Frias, secretário especial da Cultura, que usou trilha sonora sem autorizazção do autor, Omega, de Scott Buckleyu, e chamou o humorista Marcelo Adnet de “bobão”, “garoto frouxo” e “palhaço decadente”, que poderia ser declaração feita ante o espelho, mas ele mesmo nunca chegou a topo nenhum e, portanto, não poderia ter alcançado a decadencia. Apesar de agir de forma truculenta contra repórteres que o questionam sobre depósitos de Queiroz e Márcia para a primeira-dama, Michelle, e o colunista Hélio Schvartsman, da Folha, Sua Insolência não tem a tolerância do Getúlio Vargas, ditador que gargalhava a bandeiras despregadas das piadas dos musicais de Walter Pinto. Por isso, seu primogênito, Flávio, não tem a menor cerimônia de apelar para censura na justiça sobre acusações do MP/RJ, em vez de justificar os delitos de que é acusado. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: