As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsonaro passa recibo de fake newa

Ao assinar Adin ao STF pelo desbloqueio de 16 contas e 12 páginas de apoiadores dele no Facebook e no Twitter, presidente assumiu publicamente cumplicidade em eventuais crimes de apoiadores nas redes

José Nêumanne

27 de julho de 2020 | 20h00

Esta é uma cena raríssima: o filho nota zero dois do presidente, Carlos, na Câmara Municipal do Rio, para a qual foi eleito, pois dá expediente mesmo é numa sala apelidada de “gabinete do ódio” no Palácio do Planalto. Foto: Renan Olaz/CMRJ

O presidente Jair Bolsonaro entrou no sábado, 25, com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a suspensão do bloqueio de perfis de bolsonaristas nas redes sociais. O pedido de medida cautelar na Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin)é do próprio presidente, que a assina com o advogado-geral da União, José Levi Mello do Amaral Júnior. Com objetivo de “interromper discursos criminosos de ódio”, o bloqueio foi determinado em maio, quando apoiadores do governo foram alvo de buscas em operação da Polícia Federal. Foram bloqueadas 16 contas e 12 páginas de influenciadores bolsonaristas  Mas nas referidas redes sociais, os bolsonaristas passaram a usar contas alternativas para atacar o Supremo e a cobrar uma posição de Bolsonaro sobre o que eles consideram cerceamento à liberdade de expressão. E ele logo os atendeu.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no link

 

Assuntos para comentário na segunda-feira 27 de julho de 2020:

1 – Haisem – O que o presidente Jair Bolsonaro revelou ao assinar a Ação Direta de Constitucionalidade ao Supremo Tribunal Federal contra decisão do relator Alexandre de Moraes que bloqueou contas e páginas de bolsonaristas no Twitter e no Facebook

2 – Carolina – Em que, de fato, você acha que o referido bloqueio determinado pelo relator das fake news no STF, Alexandre de Moraes, revela censura e viola liberdade de expressão garantida pela Constituição

3 – Haisem – Que impactos você acha que causou a divulgação pelo Jornal Nacional do depoimento do suplente do senador Flávio Bolsonaro, Paulo Marinho, no inquérito do Ministério Público Federal sobre vazamento da Polícia Federal do relatório do Coaf sobre contas de Fabrício Queiroz e o adiamento da divulgação da Operação Furna da Onça em 2018

4 – Carolina – O que a seu ver revela a notícia dada no fim de semana de que o faz-tudo do senador Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, Fabrício Queiroz, ao comprar 50 mil reais em móveis quando estava escondido no escritório falso do advogado Frederick Wassef em Atibaia

5 – Haisem – O que você achou de relevante no documento assinado por 152 bispos católicos brasileiros com duras críticas ao governo Bolsonaro

6 – Carolina – O que você tem a destacar no artigo de Eliane Cantanhêde, intitulado Bobos são os outros, publicado no Estadão de ontem sobre a estratégia da reeleição do presidente Jair Bolsonaro e no papel desempenhado por partidos como o PT e o PSDB no eventual protagonismo dele na eleição de 2022

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: