Vetos de Bolsonaro ao saneamento

Eventual votação da derrubada do veto do presidente ao marco legal do saneamento poderá definir de vez se governo conta ou não com Centrão para ter maioria nas decisões do Legislativo

José Nêumanne

17 de julho de 2020 | 21h34

O senador Otto Alencar pressiona pela derrubada do veto de Bolsonaro que alterou texto final do marco legal do saneamento acertado em acordo entre governo e Congresso.. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Por pouco o presidente Jair Bolsonaro não entrou para a História como o governante que sancionou o marco legal do saneamento básico no Brasil, que retira nosso País da permanência infecta e insalubre da contaminação dos bairros pobres das periferias das grandes cidades, que responde pelo atraso de um povo em que metade não é servido de água encanada e, pelo menos, 30%, de esgotos. Ele sancionou o texto aprovado pelo Congresso, como deveria ter feito, mas vetou 11 dispositivos com objetivo velhaco de prejudicar os governadores, alguns dos quais serão seus adversários nas eleições gerais de 2022. O problema é que o texto que foi encminhado para sua sanção resultou de um acordo de cavalheiros, que, agora, protegido pelo apoio do centrão, ele acha que pode descumprir com risco menor de derrubada de seus vetos. A grande questão que fica é cidadãos de bem descumprem acordos? Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.