Uma história inacreditável

Marcos Guterman

26 Maio 2009 | 00h34


Phelps, editor do Times: “Notícia? Dã…”

A antologia do jornalismo ganhou uma entrada e tanto nesta semana: a história de que jornalistas do New York Times tinham a informação sobre Watergate antes do arquiinimigo The Washington Post.

O episódio está no livro de memórias de Robert Phelps, um editor na sucursal de Washington do Times naquela época. Em 1972, Robert Smith, um repórter da sucursal, havia obtido com o então chefe do FBI, L. Patrick Gray, detalhes picantes sobre o escândalo político que derrubaria o presidente Nixon dois anos mais tarde. Smith correu para contar a Phelps o que sabia. O editor tomou nota e gravou a conversa.

Logo depois, porém, Smith deixou o Times e foi para Yale estudar. Phelps, por sua vez, viajou para o Alasca, em meio à campanha eleitoral, e não sabe onde colocou as anotações nem a fita com a conversa. A notícia simplesmente evaporou – para se materializar pouco depois nas páginas do principal concorrente.

Smith diz que não havia divulgado sua história até agora porque se comprometera a manter o sigilo da fonte. Como Phelps abriu o jogo no livro, o ex-repórter se sentiu livre do compromisso.

“Se a versão de Phelps e Smith estiver correta, o Times perdeu a chance de dar o furo na maior reportagem de toda uma geração”, comentou o Times, remordendo-se.