Uma guerrinha para ajudar Obama

Marcos Guterman

02 de novembro de 2010 | 00h15

David Broder, articulista do Washington Post, publicou um texto em que avalia as condições de Barack Obama para se reeleger em 2012, mesmo com a provável derrota democrata nas eleições parlamentares desta terça-feira. Para Broder, as chances de Obama são boas, considerando-se que ele é “mais esperto” que seus oponentes e mais capaz de “ler as evidências e chegar às conclusões corretas”. O problema, diz o jornalista, é a possível persistência da crise econômica. Broder lembra que Franklin Roosevelt “resolveu” a crise dos anos 30 com a Segunda Guerra Mundial. Para ele, Obama vai ganhar aí: com maioria republicana no Congresso, disposta a desafiar as ambições nucleares iranianas, o presidente poderá mobilizar o país em torno de uma guerra contra o Irã – “e, no momento em que as tensões se acentuem, e aceleremos as preparações para os combates, a economia irá melhorar”.

Apesar das aparências, Broder diz que não está “sugerindo que Obama comece uma guerra para se reeleger”.

Tudo o que sabemos sobre:

Barack ObamaIrã

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.