Tudo depende do ponto de vista

Marcos Guterman

09 de agosto de 2010 | 21h39

Enquanto Nova York autorizava a comunidade islâmica a erguer uma mesquita a dois quarteirões do Ground Zero, as autoridades alemãs ordenavam o fechamento de uma mesquita em Hamburgo – o local foi freqüentado por Mohammad Atta, justamente um dos seqüestradores do 11 de Setembro.

Para os alemães, a mesquita segue sendo local de atração de jihadistas em potencial.

Tudo o que sabemos sobre:

11 de SetembroAlemanhaterrorismo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.