O pensamento vivo do líder muçulmano Anjem Choudary

Marcos Guterman

24 de fevereiro de 2010 | 01h46


O Palácio de Buckingham como mesquita, o sonho do Islam4UK

Anjem Choudary é líder do grupo muçulmano Islam4UK, que o governo britânico tratou de banir, sob acusação de violar as leis antiterrorismo graças a sua retórica incendiária. Defensor da introdução da sharia (lei islâmica) no Reino Unido, ele deu uma longa entrevista a uma TV iraniana, na qual pôde elaborar com clareza seu pensamento, que por enquanto não mereceu reparos por parte de muçulmanos ditos “moderados”.

Duas passagens chamam a atenção:

“Nós muçulmanos acreditamos que há um choque entre duas civilizações hoje. Uma civilização é baseada no homem – que acredita que o homem é soberano e que tem o direito de legislar – e a outra civilização é a que acredita que a soberania e a supremacia pertencem a Deus.”

“No passado, as pessoas costumavam adorar ídolos feitos artesanalmente. Hoje em dia, as pessoas veneram ídolos que são mais intelectuais – como democracia, liberalismo, liberdade e assim por diante. Esses ídolos devem ser destruídos também, e substituídos por adoração e obediência a Allah.”

A íntegra da entrevista, em três partes, pode ser vista aqui, aqui e aqui.

Tendências: