Terrorismo para constranger Medvedev

Marcos Guterman

24 de janeiro de 2011 | 17h39

O atentado num aeroporto de Moscou, nesta segunda-feira, parece ter sido calculado para causar constrangimentos ao presidente Dmitry Medvedev – justamente no momento em que ele embarcava para o Fórum Econômico Mundial, em Davos, para vender a Rússia como um lugar seguro para investimentos.

Como resposta, Medvedev deve mandar caçar os suspeitos de praxe: os separatistas da Tchetchênia. Por essa razão, os mercados não demoraram muito para se recuperar do choque e, afinal, parecem não ter se impressionado com a carnificina em Moscou, confiando na capacidade de Medvedev e de Vladimir Putin de “manter a ordem”.

Por outro lado, um dos efeitos importantes do ataque é a sensação de vulnerabilidade dos aeroportos. Não parece estar longe o dia em que os sistemas de segurança antiterror incluam a inspeção de bagagens antes mesmo de o passageiro chegar ao aeroporto.

Tudo o que sabemos sobre:

Rússiaterrorismo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: