Pobre Julian Assange

Marcos Guterman

30 de setembro de 2010 | 12h00

Diversos colaboradores do WikiLeaks – famoso por divulgar documentos secretos na internet – abandonaram o site por discordar da política de Julian Assange, seu fundador e herói da turma dos antiamericanos. A gota d’água foi o acordo entre Assange e alguns veículos para publicar, em outubro, 392 mil documentos americanos sigilosos sobre a Guerra do Iraque, informa a Wired.

Segundo os colaboradores, Assange resolveu vazar esses papéis sem ter dado tempo a sua equipe para apagar os nomes dos informantes americanos no Iraque. A medida era necessária para proteger a vida dessas pessoas. O mesmo ato irresponsável foi cometido pelo WikiLeaks no vazamento de documentos sobre a Guerra do Afeganistão, em julho.

Ironicamente, uma troca de e-mails entre Assange e um de seus colaboradores vazou e permitiu perceber o nível do comportamento do sujeito. Cobrado sobre suas atitudes, Assange respondeu: “Sou o coração e a alma desta organização, seu fundador, filósofo, porta-voz, organizador, financiador e tudo o mais. Se você tem algum problema com isso, caia fora”.

Tudo o que sabemos sobre:

jornalismo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.