Pequenos luxos dos quais não dá para abrir mão

Marcos Guterman

20 de março de 2009 | 00h00


Marie deixa o tribunal: ela só quer viver a vida

A condessa sueca Marie Douglas-David, de 36 anos, não consegue viver com apenas US$ 43 milhões. Foi o que ela disse ao juiz no início do seu processo de divórcio. Ela e o marido, George David, se acusam mutuamente de manter relações extraconjugais, e o caso foi parar no tribunal, em Connecticut.

Aos 67 anos, David, ex-CEO e atual membro do conselho da United Technologies Corp., tem uma fortuna estimada em US$ 329 milhões. Marie Douglas, por sua vez, diz que deixou seu emprego no mercado financeiro para se casar, não tem renda e precisa de US$ 53 mil por semana para suas despesas – o equivalente à renda média anual das famílias americanas.

As contas incluem a manutenção de um apartamento na Park Avenue e três residências na Suécia. Além disso, a cada semana, Marie Douglas diz gastar US$ 700 pelo serviço de limusine, US$ 4.500 em roupas, US$ 1.000 em cabeleireiros e tratamento de pele, US$ 1.500 em restaurantes e lazer e US$ 8.000 em viagens.

Mantido esse ritmo, em 16 anos Marie Douglas gastaria os US$ 43 milhões oferecidos por seu futuro ex-marido no contrato pós-nupcial que eles assinaram e que ela, agora, rejeita. Por isso, ela quer US$ 100 milhões em dinheiro vivo e ações e mais US$ 130 mil de pensão mensal.

Foto: Hartford Courant, Cloe Poisson/Associated Press

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.