Padre polonês: prazer sexual é celebração divina

Marcos Guterman

16 de maio de 2009 | 01h42


O padre Knotz: ‘É o Criador que faz os cônjuges sentirem prazer’

O padre franciscano Ksawery Knotz tornou-se um best seller na Polônia com um livro chamado “Sexo Como Você não Conhece: para Casais que Amam a Deus”. A idéia do livro, que tem apoio da Igreja Católica polonesa, é ser um guia para o sexo no casamento, cujo objetivo é estimular o prazer entre os cônjuges.

A vida de casado deve ser “apimentada” e “cheia de fantasias”, na opinião de Knotz, porque isso é uma dádiva de Deus. “Muita gente acha que o sexo no casamento tem de ser triste como um hino tradicional de igreja. Muita gente, quando ouve falar da santidade do sexo matrimonial, imediatamente imagina que tal relação tem de ser desprovida de alegria, de frivolidade, de fantasia e de posições atraentes”, escreve o padre. No entanto, diz ele, os atos excitantes “são permitidos e agradam a Deus”, razão pela qual “os cônjuges celebram seu sacramento, sua vida com Cristo, também durante o ato sexual”.

Embora seja obviamente celibatário, Knotz tem experiência no assunto: ele tem um site de aconselhamento matrimonial cuja linguagem franca é surpreendente. Lá pelas tantas, ao explicar que o orgasmo é somente o complemento do ato sexual, ele diz que o importante é a penetração: “O momento da penetração do pênis na vagina dá a sensação de segurança e de estar junto. (…) Num corpo de mulher, o homem encontra um tipo de casa – ele entra profundamente num lugar agradável e aconchegante. A mulher, quando recebe um homem, o envolve de uma maneira que somente ela pode fazer e tem a sensação de estar sendo preenchida”.