Os oligarcas russos, quem diria, pedem penico

Marcos Guterman

31 de outubro de 2008 | 00h41


Deripaska, o mais rico: sufoco

Os oligarcas russos, como se sabe, são aqueles empreendedores que ficaram bilionários à custa do loteamento da indústria soviética quando a URSS acabou. Tornaram-se famosos por seus gastos excêntricos e por suas relações controversas com o poder na Rússia. A riqueza deles, garantida pelas obscuras estruturas da economia do país, parecia infinita, mas a crise internacional os pegou em cheio.

O governo russo aprovou nesta quarta-feira um pacote de ajuda aos oligarcas. Serão US$ 10 bilhões para que os empresários possam refinanciar suas dívidas com bancos ocidentais, que, em tempos de crise internacional, não estão para brincadeira. Um dos principais beneficiados é o homem mais rico da Rússia, Oleg Deripaska, que controla a Rusal, maior produtora de alumínio do mundo. Só ele receberá US$ 4,5 bilhões.

Em troca, para honrar o favor do Kremlin, os oligarcas terão de continuar fazendo o que sempre fizeram: bajular Putin, ficar longe da política e aceitar o Estado russo como sócio.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.