Os militantes antiaborto estão pegando pesado

Marcos Guterman

03 de março de 2010 | 01h56

Na Polônia, país ultracatólico, uma campanha antiaborto lembra que foi Hitler quem introduziu o aborto no país, em 1943, para impedir que as polonesas reproduzissem a “raça inferior”. 

Cartaz polonês vincula Hitler ao aborto - Daily Telegraph

Cartaz polonês vincula Hitler ao aborto - Daily Telegraph

Em Atlanta (EUA), outra campanha antiaborto diz que “crianças negras correm risco de extinção” – o motivo, segundo seus idealizadores, é que as mulheres negras fazem mais abortos que as brancas. Para os militantes, as campanhas a favor do aborto na verdade visam a reduzir a população negra.

Cartaz vincula aborto a redução da população negra - Associated Press

Cartaz nos EUA liga aborto a redução da população negra - Associated Press

Mais conteúdo sobre:

Aborto