Os indecentes adoram uma teoria da conspiração

Marcos Guterman

27 de junho de 2009 | 01h58

Mohammad Hassan Ghadiri, embaixador do Irã no México, acusou a CIA de estar por trás do assassinato de Neda Agha-Soltan, a mártir da oposição iraniana.

Além de ser, como bem lembrou Pedro Dória, mais uma indecência do governo iraniano nessa crise, a declaração de Ghadiri alimenta o mito ridículo da infalibilidade da CIA, tão apreciado por regimes de vocação totalitária.

Se a agência de inteligência dos EUA tivesse todo o poder que os antiamericanos atribuem a ela, não teria ocorrido o papelão da Guerra do Iraque, e as Torres Gêmeas provavelmente ainda estariam de pé.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.