Os frutos da “Primavera Árabe”

Marcos Guterman

25 de abril de 2012 | 10h00

Mohamed Morsi, favorito para se tornar presidente do Egito, é da Irmandade Muçulmana. Ele anunciou que sua plataforma política, intitulada “O islã é a solução”, é transformar o país numa república islâmica, informa o New York Times.

Ele defende que mulheres sejam impedidas de chegar à Presidência. Ele quer que a sharia (lei islâmica) seja a base da lei egípcia e que o Parlamento tenha um conselho de especialistas muçulmanos a assessorá-lo. Morsi diz que um dos principais objetivos do governo é “disseminar e proteger a religião de Allah”, razão pela qual, segundo essa visão, um não-muçulmano jamais poderá ser presidente do Egito.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.