Os equívocos da guerra ao terror

Marcos Guterman

28 de maio de 2009 | 01h00

O Open Society Institute, organização pró-democracia financiada pelo bilionário George Soros, fez um estudo sobre a ação da polícia dos principais países europeus no combate ao terrorismo. A principal conclusão é que “o uso difundido de estereótipos religiosos e étnicos pelos agentes de segurança na Europa está prejudicando os esforços para enfrentar o crime e o terrorismo”. Os alvos preferenciais da estratégia de segurança são os muçulmanos e os asiáticos.

Segundo o estudo, o método baseado no foco étnico, além de ineficiente, cria atritos com comunidades inteiras, alimentando a sensação de marginalização.