Ofender pode; ofender-se não

Marcos Guterman

03 de outubro de 2011 | 22h14

O “comediante” Rafinha Bastos reclama que está sendo impedido “de falar, de brincar”, depois de ter feito um punhado de “piadas” de extremo mau gosto. A causa da liberdade de expressão já teve paladinos mais elegantes.

Então estamos combinados: se um “comediante” politicamente incorreto faz uma piada que supera todos os limites do bom senso, ele está só exercendo seu direito de falar o que bem entende; já se alguém resolver se ofender com a tal piada, isso é “patrulha” de chatos politicamente corretos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.