Obama está irritado com a Turquia

Marcos Guterman

16 de agosto de 2010 | 18h48

O presidente dos EUA, Barack Obama, ligou pessoalmente para o premiê turco, Recep Tayyip Erdogan, para lhe dizer que vai suspender a venda de armas americanas à Turquia se Ancara não se reaproximar de Israel e não se afastar do Irã, informou o Financial Times.

Funcionários americanos ouvidos pelo jornal dizem que será difícil, no momento,  aprovar no Congresso qualquer venda de armamentos à Turquia para combater os curdos do PKK. O governo turco, como se sabe, ameaça romper relações com Israel desde o episódio da Flotilha da Liberdade; ao mesmo tempo, aproximou-se do Irã a ponto de votar contra as sanções da ONU ao regime iraniano, o que irritou Obama.

A pressão sobre a Turquia deve aumentar também por conta da informação segundo a qual o Exército turco usou armas químicas contra rebeldes curdos. Fotos tiradas em 2009 e agora consideradas autênticas, segundo a revista Der Spiegel, provam o que o regime turco sempre negou. Diante disso, será difícil levar a Turquia a sério quando vocifera sua indignação humanista contra Israel.

Tudo o que sabemos sobre:

armas químicasIrãIsraelTurquia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.