O Obama russo: "Prometo trabalhar como um preto"

Marcos Guterman

27 de julho de 2009 | 13h02


Crima: orgulho racial

Joachim Crima nasceu na Guiné-Bissau, mas vive na Rússia há 12 anos e se sente, diz, “praticamente um russo”. Agora ele é candidato nas eleições distritais na região de Volgogrado, recebendo o óbvio apelido de “Obama de Volgogrado”.

Ao contrário de Obama, porém, Crima não se importou em trazer a questão racial para o centro de sua campanha – e de uma forma, digamos, politicamente incorreta. Seu discurso: “Quero melhorar a vida daqueles que considero meus compatriotas. Estou pronto para trabalhar de manhã até de noite para resolver seus problemas. Em outras palavras, estou pronto para trabalhar como um preto”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.