O mundo em 2025 será menos americano

Marcos Guterman

24 de novembro de 2008 | 06h11

O National Intelligence Council, que reúne estudos das principais agências de inteligência dos EUA, lançou um relatório que projeta o mundo em 2025. Resultados:

1)O cenário será de crescente instabilidade, em que a democracia de perfil ocidental e o modelo de liberalismo econômico e de secularismo não estarão mais garantidos como se fossem a opção natural e inevitável do mundo todo
2)O mundo será cada vez mais multipolar, impedindo que os EUA ditem as regras e obrigando-os a acertos diplomáticos com aliados. Os EUA serão “menos dominantes”
3)Haverá constante conflito sobre recursos naturais cada vez mais escassos
4)Crescerá o risco de conflito nuclear, por conta da proliferação, sobretudo no Oriente Médio
5)O fluxo de riqueza do Ocidente para o Oriente será ampliado, concentrando-se nas mãos dos Estados, e não de empreendedores privados
6)A crise internacional fará com que o papel do Estado na economia aumente no mundo todo
7)A ONU e outros organismos internacionais não estão preparados para ocupar o lugar do poder americano e enfrentar as múltiplas crises
8)Brasil, China e Índia serão os países que deverão preencher o vácuo deixado pelo poder americano. Já a União Européia estará imobilizada por crises institucionais

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.